21 de dez de 2009

_

 E com o coração na mão, ela olhou ao seu redor e encontrou 'o nada',e aquele vazio que existia dentro dela se tornou seu mundo, o mundo sem grandes descobertas, onde os fantasmas da ilusão circulavam e o odio sempre prevalecia a qualquer coisa. Sem mais nem menos ela se sentiu a pessoa mais relizada do mundo' por estar onde sempre quis, e então era somente ela e sua mente perverça e frustadora, cheia de magoa, rancor e de vingança. Passou um tempo e sua felicidade so aumentava, ela vivia na escuridão, era alimentada por lagrimas, mais percebia que seu coração sangrava tanto, mais do que um dia ela pudesse imaginar, mais para ela aquilo tudo ainda parecia normal. Ela se levantou, acordou de mais um dia, que nem ela sabia se era dia pois o silencio e a escuridão tomava conta daquele lugar, e então ela saiu e começou a observar tudo que existia perto, e viu que não existia 'nada' apenas ela e um coração sangrento que estava se desfazendo aos poucos. E como os dias foram se passando rapido ela foi ficando fraca e vendo tudo turvo, diferente do que tinha imaginado, e então começou a imaginar coisas que nunca tinha imaginado antes, e quando ela realmente abriu os olhos viu que seu coração estava partido ao meio e que uma enorme poça de sangue molhava sua botas e so ai então ela resolveu sair da escuridão, procurar algo claro e que desse sentido a sua vida, algo que pudesse reconstruir seu coração, então saiu andando procurando uma saida, so que ela não percebeu que passou muito tempo vivendo uma coisa que nunca existiu e quando tentou mudar isso ja era tarde, seu coração estava partido e ela vivera para sempre na escuridão e no silencio que sempre quisera.

Um comentário:

  1. Algumas pessoas são infelizes por opção. Eu já fui assim, mas consegui sair disso.
    Bom texto^^

    ResponderExcluir