26 de nov de 2009


   Porque o sol não se tampa com a peneira, pra quem já tá molhαdo um pingo é besteira. renovo minha força vendo o sol se pôr; pensamento longe renovo meu amor. minha voz faz eco, tristeza que eu veto, e cada chaga que a gente traz na alma é a confirmação de que a ferida sara, e se restaura, já foi cicatrizada, eleve as mãos pros céus que a tuα alma tá blindada, pois ninguém vive conto de fadas, prefiro meu degrau do que tua escada, que por sinal é pra subir e pra descer. um degrau de cada vez é assim que tem que ser .

Nenhum comentário:

Postar um comentário